terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Projeto de Lei de Bombeiros Civis é Apresentado em Porto Alegre no RS.


A Federação Brasileira de Bombeiros Civis (Febrabom RS.) Esteve reunida nesta terça feira dia (14) no gabinete da presidência da câmara municipal de Porto Alegre. Onde iniciou, as tratativas de apoio ao projeto de lei elaborado pelo vereador e presidente da câmara Cássio Trogildo (PTB). A visita, teve o objetivo de manifestar total apoio ao projeto de lei que prevê a utilização de mão de obra prevencionista no Município de Porto Alegre.
A comitiva da Febrabom formada por sua Direção, associados e demais participantes Ressaltou junto ao vereador a importância, da construção de uma cultura prevencionista junto ao município.
Levando em conta, as dificuldades enfrentadas pelos Estados e Municípios de todo o País.
Segundo a Direção da Febrabom: a aprovação deste projeto trará além, da prevenção de incêndios em casas noturnas, eventos de grande porte e empresas.Causará, um desafogamento junto aos órgãos públicos de saúde devido a possibilidade de um primeiro atendimento feito no próprio local caso seja necessário. diante do fato que uma grande maioria de incidentes junto a aglomerações de pessoas são consideradas de menor porte.
O projeto tem como base principal, a prevenção de incêndios e pânico devido a falta de políticas Preventivas presenciais dentro de Porto Alegre. o que contribuiu muito, para fatos como os da Boate Kiss,mercado Público entre tantos outros! que poderiam ser minimizados ou talvez, nem tivessem acontecido caso houvesse prevenção de forma presente e efetiva nestes locais. Salientou: a Direção da Febrabom do Rio Grande do Sul.
Para o vereador Cássio: "será extremamente importante uma construção junto a toda sociedade sobre o tema. E estaremos dispostos a trabalhar por esta construção junto a cidade de Porto Alegre." Afirmou ele.
Ainda no encontro a Febrabom, homenageou o vereador pela sua disposição em prol da implementação deste projeto que é de suma importância,para a classe prevencionista dentro do Estado.
O PL seguirá os trâmites normais da casa e novas reuniões devem acontecer.